Saiba mais sobre a coluna
Dores no corpo: Fibromialgia e sindrome da fadiga crônica

O que é?
Fibromialgia caracteriza-se por dor muscular e tendinosa difusa crônica em pontos dolorosos de localização anatômica específica. A Fibromialgia e a Síndrome da Fadiga Crônica (S.F.C) são Síndromes crônicas, complexas e debilitantes (podendo mesmo ser incapacitantes) que se caracterizam principalmente pela existência de dores generalizadas, cansaço extremo e perturbações no sono.

Se você sofre de fibromialgia e/ou S.F.C. é importante que saiba que não está sozinho, que não tem uma doença mental ou psicossomática e que existem formas de aliviar sua dor e sofrimento.

Como é viver com Fibromialgia ou S.F.C?

Se não faz idéia o que é viver com Fibromialgia ou Síndrome da Fadiga Crônica, imagine o que é ter dores pelo corpo todo, e sentir-se tão cansado e sem energia que tarefas simples como ir às compras tornam-se verdadeiramente impossíveis de concretizar. À noite, quando deseja poder descansar um pouco, não consegue dormir, acorda constantemente e sente que o sono cansa mais do que se não tivesse dormido. Ao outro dia acorda mais cansado do que quando deitou, mal consegue se mexer e as dores (que não pararam durante a noite) continuam presentes e até aumentam. As tarefas que outras pessoas executam facilmente passam a ser enormemente difícil, e não é de admirar que passado algum tempo comece a sentir-se deprimido.

Quem pode ter Fibromialgia e S.F.C.?

Estima-se que entre 3 a 6 % da população possa ter fibromialgia e S.F.C. Tanto as mulheres e os homens como as crianças de todas as idades podem ter estas enfermidades. Os estudos indicam que existe uma percentagem maior de mulheres afetadas pela doença (cerca de 80%). A idade típica em que as doenças se manifestam vai dos 20 aos 60, no entanto também se manifestam nas crianças e adolescentes assim como nos idosos. As doenças manifestam-se em qualquer etnia e região do globo.

Quais os sintomas?

A principal queixa dos pacientes com fibromialgia é a dor difusa e crônica, muitas vezes difícil de ser localizada ou caracterizada com precisão.
Os distúrbios do sono e a fadiga são relatados por 3 em cada 4 pacientes. Os pacientes referem, ainda, rigidez matinal e sensação de sono não restaurador, apesar de terem dormido de 8 a 10 horas. O sono é superficial, tendo os pacientes facilidade de acordar frente a qualquer estímulo.
Apesar da fibromialgia poder apresentar-se de forma extremamente dolorosa e incapacitante, ela não ocasiona comprometimento articular inflamatório ou restritivo. A presença dos pontos dolorosos é o achado primordial do exame físico, não se observando edema ou sinovite, a não ser na concomitância de patologias como a osteoartrite ou artrite reumatóide.
Outros achados do exame físico incluem o espasmo muscular localizado, referidos como nódulos e aumento da sensibilidade cutânea.
Os exames laboratoriais e o estudo radiológico são normais e, mesmo quando alterados, não excluem o diagnóstico de fibromialgia, uma vez que esta pode ocorrer em associação a artropatias inflamatórias e a síndromes da coluna cervical ou lombar.

Quais as opções de tratamento?

Infelizmente neste momento não existe cura, no entanto existem várias opções de tratamento. Estas dependem grandemente do médico que visitar e da abordagem que este tiver.

Medicamentos: Existem vários medicamentos que podem ajudar a minorar ou aliviar os sintomas. Para os sintomas mentais e cerebrais são normalmente utilizados antidepressivos e outros comprimidos para ajudar a dormir. Para combater as sintomas musco-esqueléticos são utilizados comprimidos para as dores (analgésicos), antiinflamatórios não esteróides, antiinflamatório esteróides e em determinados casos relaxantes musculares.

Atividade física: Diversas atividade podem influenciar positivamente o tratamento da fibromialgia e da S.F.C. principalmente a natação, hidroginástica, alongamentos, caminhadas, atividades aeróbicas entre outras. Os principais objetivos são:

  • Melhorar os sintomas de dor
  • Evitar contrações dolorosas de grupos musculares
  • Melhorar a força muscular
  • Favorecer a coordenação motora para as atividades diárias
  • Promover uma postura adequada
  • Melhorar a disposição
  • Auxiliar no controle do peso
  • Auxiliar no controle da ansiedade
  • Melhorar a auto-estima

Outras formas de tratamento incluem fisioterapia, massagens, quiropraxia, acupuntura, Yoga entre outras modalidades que devem ser adequadas individualmente para cada paciente.

 

Home | Dr. Fernando | Coluna | Tratamentos | Dicas | Links | Fotos de convenções | Textos | Contato
© 2014 Dr.Fernando Gritsch Sanchis