Tratamentos específicos
Cirurgia da Coluna Vertebral:

As doenças da coluna vertebral atingem uma parcela importante da população, trazendo grande incapacidade as atividades diárias e a boa qualidade de vida. A grande maioria desses pacientes queixam-se de dores na coluna, que limitam suas funções e relacionamentos.

Embora a dor nas costas seja um problema mais comum após os 50 anos de idade, muitos jovens também sofrem desse mal, tendo muitas vezes que conviver com o problema pelo resto da vida.

Na maioria das vezes, tratamentos simples e mudanças nos hábitos de vida são suficientes para solucionar e/ou pelo menos minimizar o sofrimento desses pacientes. Parar de fumar, diminuir a ingesta de bebidas alcóolicas, combater a obesidade, iniciar uma atividade física regular sob supervisão e até o afastamento das atividades que prejudicam a coluna (tanto no trabalho como no lazer) são essenciais no tratamento e na busca dos melhores resultados.



Em muitos casos, seja pela gravidade da doença ou mesmo pelo tratamento conservador mal realizado/orientado uma cirurgia na coluna poderá estar indicada.

A primeira pergunta que o paciente faz ao cirurgião de coluna ao receber a informação de que uma cirurgia na coluna pode ser necessária para minimizar seu sofrimento é "Vou ficar numa cadeira de rodas???" Na grande maioria das vezes, com as modernas técnicas atuais da cirurgia da coluna vertebral, esse risco é praticamente inexistente, estando esse risco aumentado em uma parcela muito pequena das doenças que atingem a coluna. Mesmo nesses casos onde existe maior risco, geralmente não realizar a cirurgia é ainda mais perigoso devido aos riscos inerentes da própria doença.

Antigamente, após uma cirurgia na coluna, o paciente demorava meses para se recuperar, sendo em muitos casos utilizados coletes de gesso por 3 a 4 meses.Hoje em dia, difícilmente são utilizados coletes no pós-operatório da grande maioria das cirurgias. Em uma cirurgia para hérnia de disco, por exemplo, o paciente pode sair da cama e caminhar no outro dia. Em cirurgias maiores, como a realizada para o desgaste na coluna lombar, onde é necessária a fixação da coluna (com parafusos, por exemplo), o paciente geralmente começa a caminhar no segundo dia após a cirurgia, sem o uso de coletes ou muletas, tendo alta do hospital geralmente quatro ou cinco dias após a cirurgia.

É claro, que em determinados casos a recuperação de uma cirurgia na coluna pode ser mais lenta, dependendo fundamentalmente da doença que levou a cirurgia, a técnica cirúrgica empregada e a reabilitação pós-operatória efetuada.

A cirurgia na coluna geralmente não tem a pretensão de deixar o paciente totalmente sem sintomas, principalmente nas doenças crônicas. O objetivo principal é diminuir os sintomas o máximo possível assim como evitar a progressão da doença, levando, com isso, a uma qualidade de vida adequada.

Entretanto, nenhuma cirurgia na coluna terá todo o sucesso possível sem uma reabilitação fisioterápica efetiva, mudança nos maus hábitos para a coluna (como fumar, sedentarismo, alcoolismo, obesidade, etc.) e principalmente respeito a sua "cirurgia" e principalmente a sua coluna.

 

Home | Dr. Fernando | Coluna | Tratamentos | Dicas | Links | Fotos de convenções | Textos | Contato
© 2014 Dr.Fernando Gritsch Sanchis